18.9.07

Regresso a Casa



A inspiração não é muita, mas a necessidade de deixar algo escrito sim.
As surpresas foram muitas, os resultados uma incógnita.

Viagem com certeza de ter ovulado, à chegada ao consultório reparar que a médica estava de bom humor e muito atenciosa (fez-lhe bem as férias), esperar só 10 minutos pela eco, logo seguida de consulta.
Ovulei, confirma-se. Ainda se deve ir a tempo para tentar a IIU. Decidir!
Troca de opiniões, de olhares ansiosos, de sorrisos nervosos. "Sim, sim! Claro que sim!!"
Receita da caixa de Gonal que "foi à vida" quando o frigorífico pifou, a que juntou Utogestan e Aspirina GR.
- Já almoçaram?
- Não propriamente...
- Então vão comer qualquer coisa. A técnica só lá está às 15:30 para fazer a recolha e depois já vai com mais força.
Calcula-se a hora para a IIU, confirma-se o local (Espaço Infertilidade) e... sai o Obrigada! com sorriso de orelha a orelha, impossível de disfarçar.

O cara-metade começa a ficar nervoso com a colheita, meio atónito. A ansiedade parece passar de mim para ele.

Vamos almoçar (tarefa menos fácil para ele, mas a fomeca aperta) e meia hora antes do combinado já estamos a entrar no Espaço Fertilidade.
Ao contrário do consultório, o local é novo, acolhedor, completíssimo e com um atendimento de primeira. "Que bom!" Apetece saltar, pular, percorrer cada salinha e agradecer tanta simpatia e empatia.
Aguardamos, faz-se a colheita e chega a técnica para a preparação do esperma. Temos cerca de 1h para desanuviar, o que não é tarefa fácil dadas as circunstâncias.

O ar puro sabe bem, caiem algumas pingas de chuva, as pernas tremem um bocadito.
Livraria Almedina, que fica perto e há livros para ver. Mal chegamos, sento-me, respiro fundo pela enésima vez e procuro uma garrafa de água. Ele perde-se por entre as estantes de livros, já a cmeçar a relaxar. Na mesa, tento ler uma reportagem sobre a Madre Teresa de Calcutá, ponho os óculos, bebo mais um gole de água, leio mais umas linhas, tiro os óculos, volto a olhar na direcção das estantes e... dou-lhe um toque.
"Como és capaz de me dixar aqui sozinha?! Caramba!"
"Desculpa, tens razão. É que me consegui distrair... Mas tens razão, desculpa."
Saímos, caminhamos um pouco, sentamos. Preciso desabafar, conversar, até dizer balelas.
Toca o telefone. É engano.
Toca o telefone. "Já está tudo pronto, quando quiserem vir..."
"Sim, sim, estamos perto. Vamos já!"

Lá sobe a adrenalina e lá caminhamos em passo rápido.
Novamente a simpatia de todas, incluindo a médica. O consultório impecável, o biombo, o "saiote", todos os componentes físicos. Até a cor da parede me chama a atenção.
Já preparada, entram as duas (médica e... médica) e tudo se passa num pestanejar de olhos.
10 minutos deitada, levantar devagar.
Ops, dor abdominal forte, suores frios, enjoos.
Pagamos, o cara-metade vai buscar o carro, mas quando dá o toque para o telemóvel já eu estou deitada no sofá da recepção, com tratamento VIP, ben-u-ron 1gr no bucho, a médica responsável pelo esperma a abanar uma revista na minha cara, um copo de água com açúcar a caminho, as pernas são-me levantadas e vou arrebitando.
Apercebo-me depois que se assustaram com a minha palidez e que não reagi à "ET": é comum acontecer.
Quando eu (e todos) confirmo que estou bem, e depois de um pouco mais de conversa agradável pelo meio, desejam-nos boa sorte e agradecemos. É o regresso a casa!

Paragem para o "sócio" abastecer com um "Twix" e a viagem corre bem, com o banco rebatido e o ar condicionado ligado, por indicação da equipa.
Farmácia e casinha, doce casinha.
Arrumam-se recibos (ai, ai!), põe-se a medicação à vista e oiço "E que tal uma pizza pró jantar?". Sorrio, pois sei como ele gosta e o quão poucas vezes comemos fast food. Aliás, a questão "jantar" fica resolvida. Claro que alinho!

Bom, já falei com um par de pessoas, recebi e respondi a algumas mensagens e todas as dores passaram.
Sei que não foi uma vitória, mas metade dela foi! Como disse uma amiga "São dois a pensar em três" e é verdade.
Agora, sem presões, o tempo trará o veredicto final.
Aceita-se apoio, carinho, mimo e chamadas à realidade. Ah! E apoio, e carinho e mimo, outra vez!
E eu que não me iluda demais, por favor!

Para quem não tinha inspiração...

5 comentários:

Isis disse...

Oi!
Que descrição linda! E que lindo seja o resultado!

Bjokas
Isis

Paula Santos disse...

Que dia amiga, o que vale é que foi por uma boa causa.
Felizmente tudo correu bem é o que interessa.
Agora é esperar por um grande positivo.
Boa sorte , estou a torcer por ti.
Beijinhos cheios de mimos.

Em busca de uma Estrela disse...

Linda,
Que aventura...
Que dia cheio de emoções...
Tudo aconteceu qdo menos se esperava e, eu fico a torcer para q esta sucessão de boas surpresas continue e tenhas um lindo positivo.

Bjs

Anuska disse...

Olá amiga,
Não nos iludirmos é impossível... Por isso, acredita e tem muita fé que tudo correrá pelo melhor!
Beijocas

kitty disse...

Boa sorte!
;)
Beijinho