8.4.08

Ponto da Situação

A consulta correu bem!

Esperámos um pouco mais do que é habitual, pareceu-me ver um raio de sol entrar no Espaço Fertilidade quando a Dr.ª Teresa entrou e, entretanto, chegou a hora de ouvir o meu nome e nos encaminharem para o gabinete da Dr.ª Elvira.

É incrível como, por muito que se tente, se tenha sempre espectativas minimamente definidas em relação a quem não conhecemos e vai-se criando uma imagem mais-ou-menos nítida no nosso imaginário. Assim foi com a Dr.ª Elvira!

Correspondeu em termos de me sentir nas mãos de uma pessoa em quem deposito confiança e considero boa profissional.
A imagem ficou muito aquém do meu imaginário e, acima de tudo, falta conhecê-la melhor e ela a mim.
Não me senti muito à vontade, apesar de ter colocado todas as questões que levava e ter ficado esclarecida.
Não me senti muito estranha na observação, apesar de ser a1ª consulta com ela.
Não me senti 100% em sintonia, pois somos animais de hábitos e uma mudança principalmente nesta altura da gravidez fez-me confusão (algo contra o que lutei, me senti extremamente segura durante a manhã e viagem, mas que veio à tona no momento da consulta e muito mais no pós-consulta).

Saí de lá com a cabeça um pouquito em novelo, que sabia se iria desfazendo com o passar das horas, dos dias. Hoje sinto-me mais serena, mais em sintonia.
Recordo mais facilmente os momentos da consulta em que me senti bem, do que os que me criaram pontos-de-interrogação na cabeça e um aperto enorme no coração.
Viu todas as minhas análises (muito boas!) e ecos. Aqui, chamou a atenção para, na morfológica, estar escrito que tenho a placenta anterior (à frente) e ter de ter cuidados redobrados para não levar pancadas que possam danificar a placenta, logo, a bebé, pois aí não há amortecedor com o líquido amniótico.
Confesso que mexeu comigo no momento e durante umas valentes horas.
Todos os cuidados de que me falou são os que tenho tido até hoje e senti que me estavam a pedir mais e eu não conseguia ou ficava paranóica, a controlar cada passo que dava, para não cair (especialmente de frente), para não ficar tonta ao volante e ter um acidente (estou com a tensão baixinha, o que é óptimo, mas há que ter cuidado rebobrado com as tonturas).
Depois, o evitar pancadas fortes, encontrões em móveis, brincadeiras bruscas com crianças, locais com muita gente, etc etc etc.

Nesse dia, vinda de uma consulta em que tudo estava bem e se recomendava, tive necessidade de falar, falar muito, e chorar.
O maridão teve uns problemas de trabalho a resolver quando chegámos e não estava cheio de disponibilidade, nem eu o queria preocupar e cansar mais, mas... à noitinha, já na camita, deixei o meu pensamento falar alto, enquanto as lágrimas corriam, sem vergonha, cara a baixo.

Porquê? Porque passou a ser um facto concreto deixar a médica anterior e concretizar isto demora um pouquinho. Porque tive medo de prejudicar a minha bebé ou de já o ter feito, sem dar por isso, e lembrei-me de quando andava de calças apertadotas nos 1ºs meses. Porque, apesar de ser normal, foi uma novidade para mim e me ficou a estalar na cabeça a forma como a médica falou: "Quero alertá-los que a minha experiência de muitos anos me diz que, quando há surpresas no parto ou com os bebés, muitas vezes tem a ver com a placenta ser anterior."
Depois as questões das cacetadas, de conviver ou não com crianças, de ter a tensão baixita e de ter de ter bastante cuidado.
Já à saída, tive necessidade de perguntar: "Tudo o que me disse sobre a placenta anterior não quer dizer que esteja alguma coisa mal, certo? É só um alerta para ter cuidado e até agora está tudo bem, é isso?"
Senti-me um bocado infantilóide a perguntar isto pela 2ª vez e expliquei preferir voltar a fazê-lo do que vir com minhocas na cabeça.
"Até agora tudo bem, sim! O que sabemos é sempre o presente, não o futuro!"

Bom, como dizia domingo uma grande amiga e colega de profissão: "Não podes controlar mais do que a tua disposição, tranquilidade e alegria de viver essa gravidez que é um momento único na tua vida, acredita!" e é bem assim!
Soube-me bem falar com ela, ouvi-la (sábia como sempre) e sentir o seu carinho e amizade.
Num domingo que foi uma delícia para mim/nós (já sem paranóias na cabeçorra e porque:
- estava um sol maravilhoso
- estava uma temperatura de verão
- vesti-me como gosto, à vontade, de saia, camisola de cava e chinelos
- fomos almoçar fora tranquilamente
- a paparoca, o espaço e o serviço foram 5 estrelas
- encontrámos amigos
- convivemos e estivemos numa boa esplanada)
foi mais um momento bom a acrescentar ao dia!

Desde ontem que, como no resto do país, está cinzentão e chove bastante, mas absorvi de tal forma o sol que esteve a semana passada e o cheirinho a verão que se aproxima, que hoje até achei piada estrear o meu guarda-chuva novo a caminho da aula de preparação para o parto (onde me voltei a sentir muito bem).

Bom, entretanto o maridão chegou a casa.
Sabe muito bem vir aqui passear-me, mas agora é hora de partilha, paleio e enroscar um no outro, abraçadinhos ou a ver uma bela série.
Fui :O)

Nota 1 - Temos ecografia dia 16 (anteciparam do dia 23 e o maridão, pela 1ª vez, não vai poder ir e estar. Como ele me dá muita segurança, fico meia despernada e triste. Com medo que algo não esteja bem e não o tenha logo ali ao lado. Com pena de ele não ir ver a nossa pequenota nesse dia, pois na semana passada não houve eco - ouvimos, e bem!, a nossa filhota) e consulta dia 23.

Nota 2 - Ontem a minha Mãe avisou-me para o tema do "Portugal no Coração". Pus a gravar, pois tinha de ir trabalhar. À noite deliciei-me a ver o programa, os depoimentos, a informação que passou e como passou, as questões que foram colocadas, a força que as mulheres presentes transmitiram, a alegria, esperança e coragem nos seus olhos e palavras.
Muitas já conhecia de nome, agora conheço-lhes a fisionomia e, de algumas, as fotos dos filhotes (lá chorei eu de felicidade).
Porque nunca é demais dizê-lo: OBRIGADA APF! OBRIGADA A TODAS VÓS!
Talvez ainda este ano, tenciono retomar o projecto da criação de um Grupo de Apoio por estas bandas. Venha a catraia, corra tudo bem e aí vou eu, de cabeça :O)

4 comentários:

Rita disse...

Concordo plenamente com a tua amiga... relaxa e curte a tua gravidez!

É um dos momentos mais maravilhosos na vida de uma mulher... não deixes de o viver a 100%

Beijinhos e tudo a correr bem

Anónimo disse...

Sem stress.... quando fui transferida para a Drª. Elvira e também na primeira consulta passou-se o mesmo. Só me lembro de pensar, se é assim tão grave porque é que o Profº. Almeida Santos não me alertou?! Acabei por esqueçer ( se bem que no carro tinha sempre muito cuidado com o cinto) e correu tudo bem, apesar de ser uma gravidez de risco, com descolamentos de placenta e muitas injecções no traseiro!!! Espero que tudo corra bem. Isa mae da R. e do M.

Pimpo & Pimpa disse...

Apesar dos stresses, só posso dizer para aproveitares ao máximo a tua gravidez.
Bjs Cláudia

Bem Me Queres disse...

Amiga, não deixes de disfrutar desta gravidez. Aproveita-a apesar dos receios.
Beijinhos doces